Antigo Testamento Vinícius Andrade

A influência da Cultura nos textos Bíblicos | Estudo Bíblico

Certa vez um Índio que nunca teve contato com a civilização, nem tecnologia e nunca tinha conhecido uma cidade alem de sua tribo, foi levado de olhos vendados para uma grande metrópole e foi retirado a venda dos olhos dele.

Quando ele voltou para sua casa ele tentou transmitir para os outros tudo aquilo que viu, vislumbrado com tantas coisas magnificas lhe faltou palavras para descrever aquilo que tinha visto.

Na tentativa de descrever procurou nomes que os outros já conheciam para poder explicar, então ele ilustrou a mensagem com aquilo que cada um já conhecia, usou folhas, plantas, animais, aquilo que tinha no seu cotidiano.

Ele comparou o metrô com uma lagarta gigante com pessoas dentro, falou do helicóptero como uma libélula gigante, os prédios como se fossem árvores de pedra com pessoas vivendo dentro, e por ai foi…

Isso demonstra que quando não temos as palavras certas para expressar aquilo que estamos vendo, usamos algo comum a todos para transmitir a mensagem.

Isso aconteceu com os profetas que viram coisas que não estavam em sua realidade, mas transmitiram de uma forma que pudessem entender, conforme a inspiração de Deus.

Expressões idiomáticas na Bíblia

Frases do tipo: “Tu viu a pechada lá na Faixa?” Ou “Não de uma de João sem braço” podem trazer um pouco de confusão, se mal entendidas.

Nesse caso, uma frase está transmitindo uma ideia cultural que às vezes pode não ser compreendida por quem não faz parte da mesma cultura e a outra é uma expressão idiomática que somente quem compartilha das mesmas expressões poderão compreendê-las.

Que diremos então da bíblia, escrita há mais de 3500 anos, por 40 autores que não se conheciam, de culturas diferentes, num período de 1600 anos de Gênesis(1500 a.C.) a Apocalipse(100 d.C.)

Agora para quem não entendeu as frases citadas acima vou explicá-las:

“Tu viu a pechada lá na Faixa?”

Talvez você que não é gaúcho não entendeu essa frase, isso porque essa frase é bastante cultural, facilmente compreendida aqui no Rio Grande do Sul.

Uma “pechada” geralmente seria uma colisão entre 2 veículos ou mais. Uma “Faixa” seria uma das avenidas principais de um bairro.

Logo teremos um acidente de trânsito na avenida principal no qual 2 ou mais veículos colidiram.

“Não de uma de João sem braço”

Essa muito conhecida no Brasil que poderia ser mal interpretada por pessoas de outras nações.

Dar uma de “João sem braço” entendemos que corresponde aquela pessoa preguiçosa, desentendida, que se faz passar por boba.

Então podemos perceber como muda a compreensão das coisas simplesmente de um estado para outro, dentro do Brasil mesmo, mais ainda de um pais para o outro.

Aplicando na Bíblia agora, seria muito difícil de comunicar a mensagem exata por causa das variações nas traduções, por isso a importância de se estudar os textos nos originais, mas Deus preservou sua mensagem.

Se ele não falasse através daquilo que já conhecêssemos, simplesmente nós não entenderíamos e somente teríamos duvidas e medo.

No momento que Deus chamou Abraão em sua própria cultura, o povo hebreu começou a ter contato direto com Deus, então Deus em sua sabedoria decidiu se manifestar ao povo mediante aquilo que já conheciam, aquilo que na cultura deles pudesse ser compreendido.

Não porque Deus se limita a certas culturas, mas para que fosse compreendido ele usou de linguagem comum da época, isso não só lá com Abraão, essa maneira de Deus falar com os homens para que pudesse ser compreendido por nós se repetiu em toda a Bíblia.

Deus falando com os Homens

Vamos para alguns versículos em que Deus falou com viés culturais para que os homens pudessem compreende-lo.

“Lá, farei brotar um chifre para Davi. Eu preparei uma lâmpada para o meu ungido.” Salmos 132:17

No Hebraico (קָרֶן – qeren) tem como significado chifre, porém, os chifres na cultura judaica representava símbolo de poder, Reino, Glória, Força.

Um animal robusto com chifre demonstra seu poder em uma luta usando seus chifres. Deus falou com os homens com uma linguagem na qual eles usavam na época.

Também essa outra passagem:

“Como está escrito: Amei a Jacó, e aborreci a Esaú.” Romanos 9:13

O termo aborreci vem da palavra grega miseó(μισέω) que pode ser traduzida por Odiar, aborrecer ou AMAR MENOS, que dá o sentido exato disso, já que Deus não faz acepção de pessoas.
E essa mesma palavra podemos encontrar em:

“Se alguém vier a mim, e não aborrecer a pai e mãe, a mulher e filhos, a irmãos e irmãs, e ainda também à própria vida, não pode ser meu discípulo.” Lucas 14:26

Deus não mandaria odiar os pais e familiares e o AMAR MENOS faz todo o sentido já que devemos amar Cristo em primeiro lugar.

Até agora estudamos algumas situações em que Deus falou com os homens nas suas respectivas culturas, de maneira que fosse compreendido.

Homens Transmitindo a Mensagem

Agora vamos estudar como os homens passaram a mensagem de Deus sendo influenciados por suas culturas, notamos isso com expressões de costumes da época, expressões idiomáticas, conhecimento de fatos da época, etc.

“E a mão do Senhor estava sobre Elias, o qual cingiu os lombos, e veio correndo perante Acabe, até à entrada de Jizreel.” 1 Reis 18:46

A expressão “cingir os lombos” quer dizer que a pessoa levantou e amarrou a túnica, para que todo o pano ficasse acima dos joelhos, a fim de que a pessoa pudesse correr.

https://www.huffpostbrasil.com/entry/gird-your-loins_n_5941448

Também essa outra passagem:

“E vi um novo céu e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram e o mar já não existe”. Apocalipse 21:1

https://i.ytimg.com/vi/ViI7UUhkJWo/maxresdefault.jpg

Para João que estava preso, isolado na ilha de Patmos seu conceito agora estava de que o mar era algo terrível para ele, pois era o mar que o separava de seus amigos, parentes, das igrejas, o mar só tornava mais real a cruel separação e a solidão que lhe consumiam a alma.

Mas quando Deus refizer a Terra, tudo que lembre a história do pecado e da tristeza será apagado. Na Terra nova não haverá fúria de tempestades, praias cheias de destroços, mas tão somente a calma eternidade. Não haverá apenas uma nova humanidade, mas uma nova geografia.

Com esse breve estudo venho trazer um incentivo a estudarmos a bíblia, pois como diz um grande teólogo Brasileiro o Dr. Rodrigo Silva: A Bíblia não foi feita para ser lida, mas para ser estudada.

Devemos estudar a bíblia, estudá-las em seus idiomas originais, lermos comentário de grandes teólogos, e o principal de tudo devemos orar, orar e orar pedindo para Deus que o espírito santo nos revele a sua palavra e nos ajude a aplicá-la.

Como disse Charles H. Spurgeon a respeito de 2 Timóteo 4:13: “Quando vieres, traze a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, bem como os livros, especialmente os pergaminhos.”

Ele é inspirado e, todavia, deseja livros! Ele esteve pregando por pelo menos trinta anos e, todavia, deseja livros! Ele tinha visto o Senhor e, todavia, deseja livros!

Ele tinha uma experiência mais ampla que a maioria dos homens e, todavia, deseja livros! Ele tinha sido levado ao terceiro céu, e ouvido coisas que é ilícito aos homens pronunciar e, todavia, deseja livros! Ele tinha escrito a maior parte do Novo Testamento e, todavia, deseja livros!

O apóstolo diz a Timóteo e assim diz para todo pregador: “Aplica-te à leitura” (1Tm. 4:13). O homem que nunca lê nunca será lido; aquele que nunca cita nunca será citado.

Aquele que não usa os pensamentos dos cérebros de outros homens, prova que ele mesmo não tem cérebro algum. Irmãos, o que é verdadeiro sobre os ministros é verdadeiro sobre todo o nosso povo.

Vinícius Andrade

Sobre o autor | Website

Estudante de Teologia do Centro Universitário Cenecista de Osório. Pertence a Igreja Nova Vida em Cristo de Gravataí/Rio Grande do Sul.

Receba Estudos Bíblicos do Original Hebraico Bíblico!

100% livre de spam.