Gênesis Vinícius Andrade

Entendendo as Variantes do Dilúvio | Estudo Bíblico

Em todas civilizações ao longo da História, há um mito que se repete: a destruição da humanidade por um dilúvio. Ele pode ser provocado por chuvas torrenciais, enchentes avassaladoras, ondas marinhas gigantescas ou pelo afundamento de continentes debaixo do mar, como a lenda de Atlântida.

Alguns “antropólogos” dizem que há mais de 270 narrativas do dilúvio em povos e culturas diferentes do mundo, e todas elas, são no início destas civilizações.

Algumas são tradições americanas, asiáticas, sumérias, assírias, armênias, egípcias e persas, entre outras que relatam inundações e chuvas torrenciais Entre essas, as mais conhecidas são:

  • O Dilúvio mesopotâmico de Gilgamesh:
  • O dilúvio na mitologia grega;
  • O dilúvio na mitologia hindu; e
  • O dilúvio na mitologia inca.

Falarei um pouco sobre alguns:

Dilúvio mesopotâmico de Gilgamesh:

A epopeia de Gilgamesh, chegou a nós em fragmentados datados do século VIII a.C. escritos em acadiano. Conta a história do deus herói Gilgamesh, rei da cidade sumeriana de Uruk. Este episódio do dilúvio é muito parecido com a versão bíblica e o sobrevivente chama-se Utnapishtim, um homem justo e imortal.

Gilgamesh quer saber como Utnapishtim obteve sua imortalidade e é então, que ele conta a história do dilúvio. Os deuses decidiram destruir a humanidade. Ea, deus das águas profundas adverte Utnapishtim e o instrui a derrubar sua casa e a construir um barco dando-lhe as dimensões precisas e que fosse vedado com betume.

Sua família inteira embarcou junto com seus artesãos e todos os animais do campo, “dois a dois”. Veio a tempestade violenta e durou seis dias e seis noites.

O dilúvio na mitologia grega:

Zeus quis destruir os homens da idade do bronze, por causa de suas perversidades e vícios. Enviou pois um grande dilúvio e pediu ajuda a seu irmão, Poseidon, deus dos mares. As águas dos rios e dos mares inundaram toda a terra engolindo rebanhos, casa, homens e animais.

O titã Prometeu, uma raça gigantesca que habitou a terra no início dos tempos, advertiu seu filho Deucalião, o mais justo dos homens e Pirra, a mais virtuosa das mulheres sobre o dilúvio. Instruiu o casal a construir uma grande arca onde, durante nove dias e nove noites, flutuaram sobre as águas do dilúvio.

Acabaram por encalhar nas montanhas do Parnaso. Terminada a inundação, Zeus lhes enviou Hermes, concedendo-lhes a satisfação de um desejo. Deucalião pediu que renovasse a humanidade. Foi-lhes ordenado, então, que atirassem para trás os ossos de sua mãe.

Pirra se horrorizou dessa impiedade: “Não podemos profanar os restos de nossos pais”. Mas Deucalião lembrou-lhe que os deuses falam por metáforas e interpretou os ossos como sendo pedras, os ossos da Terra, que é a mãe comum de todos.

Os dois apanharam pedras e começaram a atirá-las para trás, sobre os ombros: das que Deucalião atirou nasceram homens, das que Pirra, nasceram as mulheres.

Dilúvio hindu

Nas escrituras védicas da Índia encontramos um rei chamado Svayambhuva Manu, que foi avisado sobre o dilúvio por uma encarnação de Vishnu (Matsya Avatar). Matsya arrastou o barco de Manu e lhe salvou da destruição.

Acredito que a tradição mais conhecida é a da Arca de Noé, do Dilúvio bíblico.
Existem muitas passagens bíblicas acerca do dilúvio se lermos isoladas umas das outras, parecem um tanto confusas, mas em seu contexto pode-se perceber que estão atreladas umas nas outras.

Vamos pelas partes mais difíceis de explicar:

Gn 6:1-4: Filhos de Deus X Filhas dos Homens

Muitos defendem a possibilidade de Filhos de Deus estar se referindo a anjos caídos, mas num estudo mais delicado podemos afirmar que os filhos de Deus se refere a descendência de Sete e as filhas dos homens se refere a descendência de Caim, pois como está escrito em Mateus 22:30:

Porque na ressurreição nem casam nem são dados em casamento; mas serão como os anjos de Deus no céu.

O uso da expressão “tomaram para si”:

A ideia da expressão não é violentaram ou forçaram, como se esperaria de espíritos malignos. O termo é usado para descrever uniões matrimoniais. Em Gênesis 11.29, vemos um claro exemplo para isso:

“Abrão e Naor tomaram para si mulheres; a de Abrão chamava-se Sarai, a de Naor, Milca, filha de Harã, que foi pai de Milca e de Iscá.”

Por que razão os anjos caídos oficializariam seus relacionamentos?

O termo hebraico para gigantes éNefilim” (hebraico:. נְפִילִים)  e é também usado no Pentateuco em Nm.13.33:

“Também vimos ali gigantes (os filhos de Anaque são descendentes de gigantes), e éramos, aos nossos próprios olhos, como gafanhotos e assim também o éramos aos seus olhos”.

Se a causa desses homens terem nascidos gigantes por causa de uma união de Anjos caídos com humanas o dilúvio deveria ter exterminados a todos.

Então devemos considerar que:

  1. (A) ou nem todos morreram no dilúvio; (Impossível, pois a bíblia diz que o dilúvio levou a TODOS); e
  2. (b) ou o evento se repetiu. (Anjos caídos tendo relações com humanas.)

Entretanto, a bíblia deixa claro que nem uma coisa nem outra aconteceram. então devemos afirmar que esses gigantes não dependem da “genética angélica”.

Gn 7:17-20: As águas cobriram TODA a terra?

A maior parte dos teólogos defendem um dilúvio global e pelas passagens bíblicas e a análise dos textos nos mostra isto mesmo, um dilúvio global.

Muitos questionam se 40 dias seriam suficientes para inundar a terra toda, esquecem que não foi só a chuva a fonte de água sobre a terra, as águas do abismo também subiram, temos uma notícia atual que nos dá indícios que existe água no interior da terra.

O interior da Terra pode ter um mega reservatório de água, Suposta reserva fica a 410 km de profundidade e pode conter mais água do que todos os oceanos somados.

https://super.abril.com.br/ciencia/interior-da-terra-pode-ter-megarreservatorio-de-agua/
https://www.publico.pt/2014/03/13/ciencia/noticia/descoberto-mineral-que-confirma-a-existencia-de-enormes-quantidades-de-agua-no-interior-da-terra-1628075

Se o Dilúvio não fosse global, porque Deus não mandou Noé para um local seguro, sem água em vez de mandá-lo construir uma arca para eles e os animais?

O tempo na arca, tempo da água na terra e tamanho da arca.

  • Gn 7:7-9: Noé entra na Arca e fica 7 dias esperando o início da chuva(Ano 600, Mês 2, Dia 10);
  • Gn 7:10-11: Começa a chover. (Mês 2, dia 17);
  • Gn 7:12: Choveu 40 dias e depois a chuva cessa. (Mês 3, Dia 27);
  • Gn 7:24; 8:4: Depois de 110 Dias as águas começam a escoar. (Mês 7, Dia 17);
  • Gn 8:5: Depois de 74 Dias as montanhas começaram a ser avistadas. (Mês 10, Dia 1);
  • Gn 8:6-9: Depois de 40 dias um corvo e uma pomba são soltos e voltam. (Mês 11, Dia 11);
  • Gn 8:10: Depois de 7 Dias a pomba volta com uma folha. (Mês 11, Dia 18);
  • Gn 8:12: Depois de 7 dias soltou a pomba novamente, desta vez não voltou. (Mês 11, Dia 25);
  • Gn 8:13: Depois de 36 dias Noé tirou a cobertura. (Ano 601, Mês 01, Dia 01);
  • Gn 8:14-19: Depois de 56 dias a terra estava totalmente seca, saida da arca. (Mês 2, dia 27).

Somado todas as informações do dilúvio, podemos perceber que se trata de 1 ano e 17 dias (377) dias entre o primeiro dia de espera dentro da arca e finalmente a saída da Arca.

Dimensões Arca de Noé Equivalente Contemporâneo
Comprimento 138 metros 1½ Campo de Futebol Americano
Largura 23 metros 7 Vagas de Estacionamento
Altura 14 metros 3 andares de um prédio
Volume 44.436 m3 800 Vagões Ferroviários
Capacidade 14,000 toneladas

Caberia todos os animais na arca?

Levando em conta que existe a possibilidades dos animais serem filhotes, e que isso exige Fé, a bíblia em si não pode ser provada cientificamente, máximo que podemos fazer é descobrir fatos históricos que comprovam a veracidade da história bíblica.

Animais não necessários na Arca:

Existem animais que não seriam necessários na Arca? Noé deveria levar animais de todas as espécies?

Para responder a essa pergunta, John Whitcomb e Henry Morris atestam que 25 mil espécies de peixes, 1700 turnicados, 600 tipos de equinodermos, 197 mil moluscos, 10 mil celenterados, 4000 tipos de esponjas e 31 mil tipos de protozoários poderiam sobreviver fora da Arca e por isso, não seriam necessários dentro da arca.

Sobre o assunto, Arnold Mendez complementa:

“Noé não teria que se preocupar com os mamíferos aquáticos como os golfinhos, baleias, botos, leões-marinhos e morsas. Há também muitos répteis aquáticos que poderiam sobreviver fora da arca. Estes incluem muitos tipos de cobras, jacarés, crocodilos e tartarugas marinhas.

Há quase um milhão de espécies de artrópodes que sobreviveriam ao dilúvio. Animais como as seguintes: camarões, caranguejos, lagostas e muitos outros crustáceos. Todos os insetos poderiam sobreviver fora da arca. Mais de 35.000 espécies de vermes nematóides também sobreviveriam ao dilúvio.

Na realidade, apenas uma pequena percentagem dos animais teria de ser colocado a bordo da arca”.

Ou seja, apesar de ser grande o número de animais existentes, nem todos eram necessários na Arca, e por isso, Deus deixou uma ordem específica para Noé pegar apenas alguns dos animais.

FONTES:
https://marceloberti.wordpress.com
https://www.bibliaonline.com.br/acf
https://www.gotquestions.org
https://ensinarhistoriajoelza.com.br/diluvios-mitologicos/

Vinícius Andrade

Sobre o autor | Website

Estudante de Teologia do Centro Universitário Cenecista de Osório. Pertence a Igreja Nova Vida em Cristo de Gravataí/Rio Grande do Sul.

Receba Estudos Bíblicos do Original Hebraico Bíblico!

100% livre de spam.