Imagem e Semelhança de Deus – Façamos o Homem

A imagem e semelhança de Deus, na criação de Adão, é tema de inúmeros sermões e estudos bíblicos. Essa é uma das histórias mais conhecidas da Bíblia, mas ainda assim, pouco investigada nas suas palavras originais.

Ao ponto em que a tradução que conhecemos é boa, porém a compreensão desta história, com seus significados em hebraico traz revelações e nuances importantes, que muitas vezes são esquecidas.

Adão em hebraico é אָדָם , “adam“, que literalmente quer dizer “humano“. Há outras palavras que também significam “homem“, como é o caso de אִישׁ ishגֶּבֶּר gever, porém  אָדָםadam” é a que melhor transmite a ideia de “humanidade“.

A CRIAÇÃO DE ADÃO

A palavra אָדָם adam, tem ligações com outras dois termos em hebraico, e que vão nos dar uma expansão do significado do nome do primeiro homem:

  1. דַּם – Dan – Sangue;
  2. אֲדָמָה – Adamah – Terra; e
  3. עָפָר – Afar – Pó ou Cinza.

A criação do homem está muito associada a estes dois termos, sangue e terra (do pó da terra).  Mas vamos prosseguir, lendo o texto em hebraico e depois a tradução:

imagem e semelhança de deus

Deus Criou o Homem à Sua Imagem e Semelhança.

IMAGEM E SEMELHANÇA DE DEUS

נַּעֲשֶּה אָדָם בְּצַּלְּמֵנוּ כִדְּ מוּתֵנוּ וְּיִרְּדוּ בִדְּגַּת הַּיָם וּבְּעוֹף הַּשָמַּיִם וּבַּבְּ הֵמָה וּבְּכָל־הָאָרֶּץ וּבְּכָל־הָרֶּמֶּש הָרמֵֹש עַּל־הָאָרֶּץ

Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança. Domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais grandes de toda a terra e sobre todos os pequenos animais que se movem rente ao chão (Gên1:26)

Há duas palavras muito interessantes que descrevem a Criação de Adão, בְּצַּלְּמֵנוּ כִדְּמוּתֵנוּ betzalmenu kidmutenu, “à nossa imagem e semelhança“. Essas palavras são usadas em pares, no texto.

E são usadas em pares por possuírem conceitos muito semelhantes, צֶּלֶּם tzelem (imagem) e דְּמוּת demut (semelhança), formam uma estrutura poética, no hebraico, chamada de paralelismo, onde a segunda palavra, do par, expande e reforça o sentido da primeira.

Há dois principais entendimentos para estas palavras, que gostaria de compartilhar com os irmãos neste pequeno estudo bíblico:

TODOS OS HOMENS SÃO A IMAGEM DE DEUS

Na atualidade, após tantos conflitos e reflexões filosóficas, parece redundante afirmar que cada ser humano é a expressão da imagem de Deus na terra. Entretanto, não era esse o conceito que as sociedades do oriente médio possuíam, na época em que o Gênesis foi escrito por Moisés.

Os reis, e a realeza como um todo, eram os únicos considerados como possuindo essa semelhança de Deus.

Os reis eram “seres diferenciados” dos demais mortais, comuns. Eles se autointitulavam “filhos de deus”, os únicos possuidores daquela imagem, sendo portanto os únicos com o “direito divino de governar”.

Stephen Bertman, no livro Handbook to life in Ancient Mesopotamia, 2003, traz informações muito interessantes para ilustrar o nossa colocação acima:

“…É por esse motivo que a realeza desceu do céu…” Handbook to Life in Ancient Mesopotamia, pág. 65.

“…Outros meios, no entanto, foram usadas para sugerir Divindade: Referências à aura radiante do rei, ou a ser o “filho” de deus; Grandes epítetos, Tal como “rei dos quatro quadrantes [do céu E terra] “;

Artísticos, tais como a retratação do rei de pé na presença de um deus (como Hammurabi está diante de Shamash na estela de seu famoso código, aquecendo-se na divina Luz); ou fazer o rei mais alto do que as pessoas em torno dele (como a escultura da Vitória, esculpida de Naram-Sin, que o descreve super-humano em tamanho).

E Como um provérbio sumério diz: “O homem é a sombra De Deus, mas o rei é o reflexo de Deus… ” Handbook to Life in Ancient Mesopotamia, pág. 66

A Torá, no Gênesis é a primeira literatura originada já naquela mesmíssima época, que quebra com esse paradigma da realeza, ao afirmar que todos os seres humanos são feitos à imagem e semelhança de Deus.

Esses versos do Gênesis são uma verdadeira Obra de Liberdade e Igualdade, colocam todos em posição de igualdade, todos são “divinos”.

A CAPACIDADE DE AUTOSSUPERAÇÃO

A palavra Tzelem, imagem, não pode aqui estar se referindo à imagem física, palpável. É conhecido que Deus é Espírito, e não possui imagem física. O que seria então essa imagem de Deus?

Deus está além de qualquer tipo de representação. É impossível tentar defini-lo. Veja pela resposta que Ele dá a Moshé, Moisés, quando este tentou saber o Seu nome:

וַיֹּ֤אמֶר אֱלֹהִים֙ אֶל־מֹשֶׁ֔ה אֶֽהְיֶ֖ה אֲשֶׁ֣ר אֶֽהְיֶ֑ה

Vayomer Elohiym el Moshé, Ehye asher Ehye

E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU
Êxodo 3:14

As palavras Ehye asher Ehye, literalmente significam “Eu Serei o que Serei”. Isso porque Deus não tem uma essência fixa ou engessada. Ele é a própria transcendência, e não possui uma forma específica, porque Ele transcende essa necessidade.

E quando criou o homem à Sua imagem e semelhança, concedeu ao ser humano uma capacidade semelhante.

Assim como Deus é livre, nós também fomos criados em liberdade. Nossa essência também não é fixa, pois foi nos dado o poder da autotransformação, da renovação:

E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento
Romanos 12:2

Diferente do que é largamente ensinado, nós não herdamos o Pecado Original de Adão, podemos sim sofrer as consequências do pecado ter entrado no mundo e na humanidade, porém cabe a cada um de nós lutar contra o pecado, e mudar, buscando uma transformação genuína do nosso caráter.

Veja que desde muitos milênios atrás, o conto mítico da Criação Babilônica, a Enuma Elish, afirma que o ser humano teria sido criado a partir do sangue de um deus rebelde, chamado Quingu. Por isso estaria a rebeldia implícita na natureza humana.

Mas não é isso que a Torá nos ensina. Deus criou o homem à Sua imagem e semelhança, implicando dizer que o homem tem o poder de fazer escolhas, pode escolher obedecer ou desobedecer, isso é uma dádiva de Deus!

Sei que o homem passou a ter Yetzer hará, uma inclinação para fazer o mal, por ter comido da Etz haDaat Tov Verá, árvore do conhecimento do bem e do mal.

Ainda assim,  é possível agir com responsabilidade e sabedoria, transformando-se pelo poder da Palavra de Deus. Crendo na Palavra de Deus, dando crédito à Ela e obedecendo os Seus mandamentos.

Yeshua haMashiach sempre deixou claro a importância da obediência aos mandamentos do Eterno, como meio para mitigar aquela inclinação para o mal, adquirida no Gan (jardim) do Éden. Temos que refletir o caráter divino, pois somos a Sua imagem:

Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me;
Mateus 16:24

Porque o Filho do homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos; e então dará a cada um segundo as suas obras.
Mateus 16:27

Precisamos resgatar a imagem de Deus em nós. E agora, temos uma melhor referência. Agora sabemos o que é o bem e o mal absolutos, pois podemos nos guiar de acordo com a vida e obra de Yeshua haMashiach.

Se quisermos ter a imagem perfeita de Deus em nós, temos Yeshua rabbeinu que em tudo foi perfeito, e por isso Ele tem a autoridade de portar a Semelhança do Altíssimo. Basta que andemos nos caminhos da Teshuvá, e sejamos seus imitadores.

Nele resgatamos a perfeita imagem que nos criou:

O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação;
Colossenses 1:15

 

Sobre o autor | Website

ישראל סילבה Casado com Ana Paula Curty, papai da Sarah Curty, formado em Hebraico Bíblico, Geografia Bíblica, e Contexto Judaico do Novo Testamento, é Especialista em Estudos da Bíblia Hebraica, certificado pelo Israel Institute of Biblical Studies da Universidade Hebraica de Jerusalém; Apocalipsismo Judaico, pela Keets alMayim.

Receba Estudos Bíblicos do Original Hebraico Bíblico!

100% livre de spam.