Do Delta do Nilo à Península do Sinai | A Saída dos Hebreus do Egito

O Egito é fascinante e rico em sua história. E é lá que acontece um dos eventos mais conhecidos dentro e fora da Bíblia, o Êxodo, quando praticamente há o nascimento de Israel como nação.

Por isso, na aula de hoje, vamos explorar a terra do maior poder militar da época. Até para que possamos entender melhor a história da escravidão e da libertação dos Hebreus do Egito.

mapa do egito, delta do nilo, israel, península do sinai
O Mapa do Êxodo.

Vamos conhecer a rota por onde o povo de Israel saiu do Egito, até o Monte Sinai, e vamos reler o Livramento no Mar Vermelho. E responderemos algumas questões centrais ao nosso estudo: Qual foi o caminho do Êxodo? Era o Mar Vermelho, ou era o Mar de Juncos?

Vamos ao texto base da nossa aula, como o livramento no mar:

a abertura do mar vermelho na saída do egito
Visão Tradicional da Abertura do Mar Vermelho.

Então Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o Senhor fez retirar o mar por um forte vento oriental toda aquela noite; e o mar tornou-se em seco, e as águas foram partidas.
E os filhos de Israel entraram pelo meio do mar em seco; e as águas foram-lhes como muro à sua direita e à sua esquerda.
E os egípcios os seguiram, e entraram atrás deles todos os cavalos de Faraó, os seus carros e os seus cavaleiros, até ao meio do mar.
Êxodo 14:21-23

E disse o Senhor a Moisés: Estende a tua mão sobre o mar, para que as águas tornem sobre os egípcios, sobre os seus carros e sobre os seus cavaleiros.
Êxodo 14:26

ÊXODO: A NARRATIVA MAIS IMPORTANTE DA BÍBLIA

imagem de faraó do egito

O Êxodo (escravidão, escape, travessia, Sinai, entrada na Terra, a passagem pelo rio Jordão) é a narrativa fundamental da Bíblia Hebraica, formando o fundamento da aliança de Deus com o povo de Israel.

Não é meramente uma narrativa histórica que ocorreu no passado, mas um paradigma de relacionamento entre Deus e Israel ainda hoje.

Dentro da Torá (Cinco livros de Moisés; Pentateuco), 80% do seu texto é em volta do Êxodo. Fora da Torá, o Êxodo é mencionado centenas de vezes, muito mais frequente que outras narrativas primordiais encontradas no livro de Gênesis, tais quais: a Criação ou as histórias dos Patriarcas e Matriarcas.

A história dos Hebreus no Egito é importante não só em frequência de citações na Bíblia como um todo, mas também é o mais importante tema teológico, que fundamenta a fé dos Hebreus / Judeus, até os dias atuais.

Os Profetas, por exemplo, citam a narrativa do Êxodo para explicar o exílio Babilônico, iniciado em 586 AC (que eles chamam de 2º Êxodo).

A VISÃO TRADICIONAL DO ÊXODO

Tradicionalmente, ao se referir à saída do povo de Israel do Egito, pensamos na Travessia do Mar Vermelho, que a Tradição Cristã aponta como sendo os “braços” do mar próximo ao Canal de Suez, ou próximo ao Golfo de Ácaba. Veja o mapa abaixo:

as duas possíveis localizações do mar vermelho de acordo com a tradição cristã

Mas será que o Mar Vermelho ficava mesmo nessas regiões ora destacadas no mapa acima? Responder a essa pergunta é também uma das propostas do nosso estudo bíblico. Onde está localizado o Mar Vermelho?

Mas antes, vamos relembrar algumas referências bíblicas à saída do Egito, para depois iniciarmos um Estudo Bíblico que será dividido gradualmente.

REFERÊNCIAS BÍBLICAS AO ÊXODO

Dividiu o mar, e os fez passar por ele; fez com que as águas parassem como num montão. Salmos 78:13

E o mar fendeste perante eles, e passaram pelo meio do mar, em seco; e lançaste os seus perseguidores nas profundezas, como uma pedra nas águas violentas.
Neemias 9:11

Ora, irmãos, não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos debaixo da nuvem, e todos passaram pelo mar.
E todos foram batizados em Moisés, na nuvem e no mar,
E todos comeram de uma mesma comida espiritual,
E beberam todos de uma mesma bebida espiritual, porque bebiam da pedra espiritual que os seguia; e a pedra era Cristo.
Mas Deus não se agradou da maior parte deles, por isso foram prostrados no deserto. 1 Coríntios 10:1-5

O ÊXODO: 40 ANOS EM 3 PARTES

Na verdade, poderíamos dividir a história do Êxodo em quatro ou cinco partes, se considerássemos a ida de José para o Egito, e também a Travessia do Jordão com Josué. Mas por motivos de didática, e para não perdermos o foco, vamos nos concentrar na saída do Egito, como destacamos mais abaixo:

Parte 1 (Êxodo 12:33 – 18:27) – “Escape”:

  • Três meses – É o tempo que contamos, se levarmos em consideração as Dez Pragas do Egito, culminando com a morte dos primogênitos e a ordem para deixar o Egito. O autor do livro do Êxodo marca essas datas no texto;

Durante essa fase ocorreram:

  • As Dez pragas;
  • A Páscoa;
  • A Saída do Egito;
  • O Livramento no Mar de Juncos;
  • O Canto da vitória;
  • A Descida do Maná;
  • O Episódio das Codornizes;
  • A Água de Refidim; e
  • O Ataque dos Amalequitas.

Parte 2 (Êxodo 19:1 – Números 14:45) – “Aliança”:

Aproximadamente 1.5 anos – Vai da Aliança no Monte Sinai, até o Episódio dos Espias. Essa parte compreende:

  • A Parada ao Sopé do Monte Sinai;
  • O Recebimento dos Dez Mandamentos, nas Tábuas da Lei, por Moisés;
  • A Construção e as Leis do Tabernáculo;
  • A Adoração ao Bezerro de ouro;
  • O Estabelecimento das Leis de Sacrifício;
  • O Código de Santidade;
  • As Reclamações / Murmurações do Povo;
  • A Decepção Depois do Envio dos Doze Espias;
  • A Rebeldia do Povo, que Pretendia Voltar ao Egito; e
  • A Punição de Quarenta Anos no Deserto;

Parte 3 (Números 15:1 – Deuteronômio 34:12) – “Vageando”:

Aproximadamente 38 anos, ocasião em que ocorreram:

  • A Rebelião de Corá;
  • Moisés fere a rocha;
  • Problemas na Transjordânia;
  • Moabe;
  • Moisés se despede e resume a Torá; e
  • Morte de Moisés no monte Nebo.

EXPLORANDO A TERRA DO EGITO

O Egito está localizado no nordeste da África, uma posição privilegiada, pois liga o continente africano ao continente asiático, e consequentemente liga a África também à Europa. Além disso, o Egito possui o rio Nilo, que vem da região central da África, e desce em direção do mar Mediterrâneo.

A própria existência do Egito só era possível devido as águas do Nilo, que irrigava e adubava as terras secas, que são a continuação do deserto do Saara, fazendo com que a vegetação e a agricultura fossem pujantes naquela região.

As margens do Nilo são um grande oásis no meio do deserto. Por isso o império Egípcio pôde florescer nesta região. Mais abaixo, vocês poderão perceber, na foto de satélite do Delta do Nilo, que não há zona de transição no Egito.  O país é constituído das margens do Nilo, vindo logo em seguida, abruptamente o deserto seco do Saara.

Não é de se surpreender que os antigos Egípcios, pagãos, adoravam o rio Nilo como doador da vida:

O Egito é um presente do Nilo. Historiador Grego Heródoto, 450 AEC.

O NOME EGITO

  • Khemi – solo negro na planície inundada do Nilo;
  • Egito – Egípcios de Menfis, Hikuptah;
  • Masr (nome moderno em Árabe) – Hebraico Mitzrayim = terra de fronteira; e
  • Os descendentes de Cão: Cuxe, Egito, Pute, e Canaã (Gênesis 10:6);

O nome “Egito”, em Hebraico, tem uma terminação plural – מצרים – Mitzraim. De fato o Egito era dividido em dois:

  • Alto Egito – fisicamente está em uma altitude mais elevada, na parte sul do país. Tinha sua capital em Tebas;
  • Baixo Egito – na parte norte.

A primeira Dinastia foi unificada por Menes / Narmer, c. 3100 AEC.

mapa do alto e do baixo egito
Mapa do Alto e do Baixo Egito.

O RIO NILO

o rio nilo
O Rio Nilo é Que Tornava a Vida Possível no Egito.

O DELTA DO NILO

o delta do rio nilo
O Nilo Cercado de Terras que São a Continuidade do Deserto do Saara.

OS SETE DISTRIBUTÁRIOS ANTIGOS DO NILO

os sete distributários antigos do rio nilo

De acordo com o Historiador Plínio, o Ancião, na época do Império Romano, o Nilo possuía sete braços na região do delta, que despejavam suas águas no Mediterrâneo. Hoje há apenas dois, pois cinco deles foram drenados para prevenir enchentes.

O SOLO FÉRTIL DO DELTA DO NILO

A água do Nilo era canalizada para mais adentro da terra (e ainda é nos dias atuais), o mais longe possível, para tornar o solo do deserto bastante fértil e assim maximizar a produção de alimentos.

Milênios antes de Cristo, já havia a construções de canais de irrigação, tanto na Mesopotâmia quanto no Egito. A evidência do sucesso que o Nilo trazia, é destacado nos textos Bíblicos mais abaixo.

o solo fértil do delta do nilo
Os Canais (à Esquerda na Foto), Tornavam a Terra Fértil (à Direita).

A EXUBERÂNCIA DO EGITO NA BÍBLIA

E levantou Ló os seus olhos, e viu toda a campina do Jordão, que era toda bem regada, antes do Senhor ter destruído Sodoma e Gomorra, e era como o jardim do Senhor, como a terra do Egito, quando se entra em Zoar.
Gênesis 13:10

Esse texto acima, é de importância particular, pois descreve como os Israelitas percebiam a terra do Egito. Eles viam aquele país como um verdadeiro jardim, “jardim do Senhor”, ou seja o Gan Éden, o jardim do Éden. Essa era a perspectiva dos Israelitas sobre o Egito na época.

Lembramo-nos dos peixes que no Egito comíamos de graça; e dos pepinos, e dos melões, e dos porros, e das cebolas, e dos alhos.
Números 11:5

Esse outro texto, de Números, mostra a fartura da agricultura Egípcia. É uma das poucas “janelas”, que nos mostram a alimentação dos escravos Hebreus. Peixes, provavelmente do Mediterrâneo que era bem próximo do local onde estavam os Israelitas; e as frutas e vegetais citados.

Porque a terra que passas a possuir não é como a terra do Egito, de onde saíste, em que semeavas a tua semente, e a regavas com o teu pé, como a uma horta.
Deuteronômio 11:10

Já este texto de Deuteronômio, que vimos na primeira aula, possivelmente faz referência aos canais de irrigação (na esquerda da foto acima) com as palavras “regavas com o teu pé“; e confirma a comparação do o Egito com um jardim, “uma horta“.

Inclusive, o nome Egito, na língua egípcia, é um termo usado para se referir à terra que é muito boa para uma horta, que é a terra preta, como a imagem logo abaixo mostra.

GOSÉN, A TERRA DE RAMESSÉS

E José fez habitar a seu pai e seus irmãos e deu-lhes possessão na terra do Egito, no melhor da terra, na terra de Ramessés, como Faraó ordenara.
Gênesis 47:11

a terra de gosén no egito

JOSÉ SE TORNA GOVERNADOR DO EGITO

Tu estarás sobre a minha casa, e por tua boca se governará todo o meu povo, somente no trono eu serei maior que tu.
Gênesis 41:40

JOSÉ E OS HICSOS, HÁ CONEXÃO?

Não é o nosso objetivo fazer um comentário mais aprofundado sobre as datas do Êxodo, mas podemos trazer pontos gerais. O Êxodo pode ter ocorrido, provavelmente em uma janela de tempo entre 1500 AC, até 1200 AC com o Faraó Ramessés. Então, esse período de trezentos anos é debatido entre os acadêmicos, sobre a data da saída do Egito.

O período da monarquia em Israeliniciou-se em torno do ano 1000 AC, com o rei Davi. Apesar de que a cronologia de Israel só começa a ser mais firme no século IX, com o rei Onri e Acabe. Antes desses reis não há muita informação cronológica.

Então novamente se acende o debate, para saber quanto tempo os Israelitas já estavam na terra, no tempo do rei Davi, se já a duzentos, trezentos, quatrocentos anos. Isso vai ser determinante para se chegar à data da saída do Egito.

Uma das informações históricas usadas para se determinar a data mais antiga da saída do Egito, é a história da invasão do povo Hicso, um povo estrangeiro que veio do norte e conquistou o Egito.

Os Hicsos eram um povo semita (assim como os Hebreus), e eram da região da Península Arábica e da região de Canaã, a região da origem de Abraão, de acordo com a Bíblia. As pinturas egípcias também mostram uma diferença física entre os Egípcios e esses imigrantes semitas, como coloração da pele, e outra distinção é que os Hicsos usavam barba.

os hicsos podem ser os hebreus no egito
Cemitéio de Beni Hasan – pintura em tumba (c. 1890 AEC): “Abias” recebendo o título de “Hicsos”.
pintura sobre os hicsos com barba como os hebreus
Os Hicsos Podem Ser os Hebreus no Egito. Pintura no Cemitério de Beni Hasan, ao Norte de Amarna.

O mais interessante é a coloração das roupas. Enquanto que os Egípcios usavam um tipo de saiote branco de linho, os Hicsos usavam roupas coloridas, o que faz a ligação com os Hebreus, pois há na bíblia citação a este tipo de vestimenta colorida, a roupa de José:

E aconteceu que, chegando José a seus irmãos, tiraram de José a sua túnica, a túnica de várias cores, que trazia. Gênesis 37:23

Em resumo:

  • Período dos Hicsos (aproximadamente 1670 -1560 AEC);
  • Um interlúdio de cerca de 100 anos entre o Reino Médio e o Novo Reino durante o qual Semitas / Canaanitas foram expulsos do Baixo Egito. O período governado pelos Hicsos representa a XV Dinastia do Egito;
  • Significado dos Hicsos: “regente de terras estrangeiras” ou “reis pastores”;
  • Capital move para Tebas Avaris (Tel el-Daba) no Delta do Nilo;
  • Expulso por Amosis I, fundador da XVIII dinastia em1565 AEC;

O Historiador Egípcio Maneto (III século AEC) é o primeiro historiador a fazer a conexão. Maneto também afirma que depois que os Hicsos foram expulsos do Egito, eles vaguearam pelo deserto, antes de estabelecerem a cidade de Jerusalém :

Depois da conclusão do tratado, eles saíram com suas famílias e bens móveis, não menos de duzentos e quarenta mil pessoas, e atravessaram o deserto para a Síria. Temendo os assírios, que dominavam a Ásia naquela época, construíram uma cidade no país que hoje chamamos de Judéia.

Era grande o bastante para conter este grande número de homens e era chamada de Jerusalém.
-Flávio Josefo, contra Apion 1.73.7, citando Aegyptiaca de Maneto

TRIBOS NÔMADES – SAQUEADORES

tribos de nomades shasu, apiru, habiru no egito

Outro fato histórico que vai nos ajudar a posicionar a época da saída do Egito na cronologia antiga, é que as primeiras citações de possíveis Israelitas Hebreus, na Terra de Israel, são com os nomes de Apiru ou Habiru, encontrados inscritos em tabletes de barro na cidade de Amarna, ao sul do Cairo.

Possivelmente aqueles tabletes datam de aproximadamente 1350 AC, eram correspondências de líderes de Canaã, ao Faraó do Egito, escritas no idioma Acadiano. Uma dessas “cartas de tabletes de barro”, há uma referência ao Abdi Heba, rei de Urusalim, que é Jerusalém, onde há o relato de seus inimigos chamados de Apiru.

E como o livro do Êxodo 1:11 relata que os Israelitas construíram as cidades de Pitom e Ramessés, e essas cidades datam em torno de 1200 AC, então os Hebreus estavam no Egito até, pelo menos, esta época.

RESUMO DAS DATAS DO ÊXODO

Mais antiga: 1440 AEC.

Quatrocentos e oitenta anos depois que os Israelitas saíram do Egito, no quarto ano do reinado de Salomão em Israel, no mês de zive, o segundo mês, ele começou a construir o templo do SENHOR.” (1 Reis 6:1)

  • 960 + 480 = 1440

Mais recente: 1260 AEC.

  • Reino de Ramessés II: 1290-1224;
  • Nome “Ramessés” aparece algumas vezes nanarrativa do Êxodo: Gênesis 47:11, Êxodo 1:11;
  • Ramessés II instituiu grandes obras públicas com uso de trabalho escravo estrangeiro;
  • Stela de Mernepta; e
  • Mudanças na arqueologia da Terra de Israel em meados de 1200.

A STELA DE MERNEPTA

a stela de mernepta 1207 aec
A Stela de Mernepta no Egito, em 1207 AEC.
inscrição yisiriar, referência aos israelitas na stela de mernepta no egito
A Inscrição que Faz Referência aos Israelitas no Egito.

Canaã tem sido por toda sorte de aflição: Asquelon tem sido vencida; Gézer tem sido capturada; Yano’am deixou de existir. YISIRIAR (Israel) foi destruída e sua semente [descendentes] não existe mais.

  • Menção extra-bíblica de “Israel” mais antiga. Em 1207 AC, a terra de Canaã já era conhecida como Israel e não mais como Apiru;
  • Determinativo para Israel: “povo inimigo”, não é usado o determinativo para cidade-estado com fronteiras, como usado para os outros nomes;
  • No final do séc. XIII, Israel é um povo recente na região de Canaã;
  • Êxodo deve ter ocorrido antes de 1207 AC.

OS ISRAELITAS SURGEM EM CANAÃ EM 1200 AEC

casa de pedra, ruínas de 1200 aec, em canaã
Site Arqueológico, Casa Israelita em Canaã, Datada de 1200 AEC.
antiga casa israelita de quatro cômodos
Casa Israelita de Quatro Cômodos.

QUEM FOI O FARAÓ DO ÊXODO?

  1. Seti I (1305 –1290);
  2. Ramessés II (1290 –1224);
  3. Mernepta (1224 –1211).

רַעְמְסֵס – Ramessés é citado em:

  1. Gênesis 47:11;
  2. Êxodo 1:11;
  3. Êxodo 12:37.

FOME NA TERRA: VÁ PARA O SUL

Abraão:

  • Houve fome naquela terra, e Abrão desceu ao Egito para ali viver algum tempo, pois a fome era rigorosa. (Gênesis 12:10);
  • Abraão partiu dali para a região do Neguebe e foi viver entre Cades e Sur. Depois morou algum tempo em Gerar. (Gênesis 20:1).

Isaque:

Houve fome naquela terra, como tinha acontecido no tempo de Abraão. Por isso Isaque foi para Gerar, onde Abimeleque era o rei dos Filisteus. (Gênesis 26:1).

Jacó

  • Quando Jacó soube que no Egito havia trigo, disse a seus filhos: “Por que estão aí olhando uns para os outros?” 2 Disse ainda: “Ouvi dizer que há trigo no Egito. Desçam até lá e comprem trigo para nós, para que possamos continuar vivos e não morramos de fome”.(Gênesis 42:1-3);
  • A fome continuava rigorosa na terra. 2 Assim, quando acabou todo o trigo que os filhos de Jacó tinham trazido do Egito, seu pai lhes disse: “Voltem e comprem um pouco mais de comida para nós”.(Gênesis 43:1-2).

OS FILHOS DE JACÓ HABITAM EM GOSÉN

Etimologia de Gósen גשֶֹּׁן:

  • Hebraico gush, “barro torrão (torrado)” – pedaço de barro / terra junto;
  • Egípcio qas “inundado”.

E Jacó enviou Judá adiante de si a José, para o encaminhar a Gósen; e chegaram à terra de Gósen.

E José fez habitar a seu pai e seus irmãos e deu-lhes possessão na terra do Egito, no melhor da terra, na terra de Ramessés, como Faraó ordenara.
Gênesis 47:11

A ESCRAVIDÃO DOS HEBREUS

E levantou-se um novo rei sobre o Egito, que não conhecera a José;
O qual disse ao seu povo: Eis que o povo dos filhos de Israel é muito, e mais poderoso do que nós. Êxodo 1:8,9

E puseram sobre eles maiorais de tributos, para os afligirem com suas cargas. Porque edificaram a Faraó cidades-armazéns, Pitom e Ramessés.
Êxodo 1:11

Pés da estátua de Ramessés II
Pi-Ramessés (Qantir) Pés da estátua de Ramessés II.

OS HEBREUS NÃO CONSTRUÍRAM AS PIRÂMIDES

as pirâmides de gizé
As seis pirâmides do Necrópolis de Gizé, c. 2500 AEC.
esfinge de gizé
Os Hebreus Não Construíram as Esfinges.

As pirâmides do Egito datam de mais ou menos mil anos antes de Abraão.

PRODUÇÃO DE TIJOLOS DE ARGILA POR ESCRAVOS

Assim que lhes fizeram amargar a vida com dura servidão, em barro e em tijolos, e com todo o trabalho no campo; com todo o seu serviço, em que os obrigavam com dureza. Êxodo 1:14

escravos egípcios produzindo tijolos de barro

Daqui em diante não torneis a dar palha ao povo, para fazer tijolos, como fizestes antes: vão eles mesmos, e colham palha para si.
Êxodo 5:7

Tumba de Rekhmire (c. 1425 AEC)
Tumba de Rekhmire (c. 1425 AEC). Escravos Fazendo Tijolos no Egito.

TEL EL-AMARNA – FEITA DE TIJOLOS DE BARRO

Tel el-Amarna (c. 1350 AEC)
Tel el-Amarna (c. 1350 AEC). Construção com Tijolos de Argila.

DELTA DO DANÚBIO – ROMÊNIA

tijolos de barro feitos com a argila do danúbio na romênia
Arqueólogos Reproduzindo Tijolos de Argila do Rio Danúbio na Romênia.

METRÓPOLE DE TIJOLOS DE BARRO – SANA’A IÊMEN

Metrópolis de tijolos de barro–Sana’a, Iêmen
Metrópole de tijolos de barro – Cidade de Sana’a, Iêmen, Sul d Península Arábica.

FAZIAM TODO TIPO DE TRABALHO AGRÍCOLA NO EGITO

pintura na tumba de nakht tt52 tebas dinastia xviii xv aec
A Tumba de Nakht, Tebas Dinastia XVII, XV Século AEC.

Fazendas trabalhadas por escravos:

  • Arando;
  • Semeando; e
  • Colhendo.

A escravidão no Egito não era escravidão doméstica, mas corvée: Trabalho de estado compulsório em obras públicas.

A ROTA DO ÊXODO

a rota do êxodo
O Caminho Para o Mar Vermelho.

DESAFIOS PARA RECONSTRUIR A ROTA

Os Israelitas não deixariam vestígios materiais para arqueólogos poderem escavar (descobrir), pois eles eram nômades e estavam em uma jornada apressada.

Muitos nomes registrados como parte da rota são “apelidos” internos (familiar do povo do autor) que não permaneceram como parte da região porque eles não foram passados de geração em geração pelos Beduínos que habitaram a região. Por exemplo:

  • Mara (azedo) – Êxodo 15:23;
  • Taberá (conflagração – fogo divino) – Números 11:3;
  • Kivrot-HaTaavah (tumbas de glutonaria) – Números 11:34;

A Bíblia nos dá informações conflitantes sobre a rota, usando termos diferentes:

  • O Caminho do Deserto do Mar de Juncos – Êxodo 13:18;
  • O Caminho de Sur – Êxodo 15:22;

Outro detalhe problemático da narrativa do Êxodo:

  • 600,000 homens = 2.5 milhões de pessoas.

A ROTA DO ÊXODO

E aconteceu que, quando Faraó deixou ir o povo, Deus não os levou pelo caminho da terra dos filisteus, que estava mais perto; porque Deus disse: Para que porventura o povo não se arrependa, vendo a guerra, e volte ao Egito.

Mas Deus fez o povo rodear pelo caminho do deserto do Mar Vermelho; e armados, os filhos de Israel subiram da terra do Egito.
Êxodo 13:17,18

A ROTA DA TERRA DOS FILISTEUS

o caminho da terra dos filisteus saindo do egito
O Caminho da Terra dos Filisteus Era Vigiado Pelos Egípcios.

A rota dos Filisteus é o caminho que mais tarde na história, os Romanos vão chamar de Caminho do Mar, ou Via Mares. Essa rota sai do Egito pelo nordeste do Delta do Nilo, e segue pela planície costeira de Israel, até a cidade de Damasco.

a via mares, caminho do mar, ou rota dos filisteus
A Via Mares em Cor Lilás.

A rota era chamada pelos Egípcios de Caminho de Horus, cuidadosamente vigiado por guardas Egípcios contra invasões advindas do norte.

  • Tutmosis III, 1468 AEC usou essa rota, 10 dias para chegar em Gaza.
  • Seti I, 1290 AEC : Relevos do Templo do Karnak: série de fortes ao longo da costa.

AS DUAS PRIMEIRAS ESTAÇÕES DO ÊXODO

Assim partiram os filhos de Israel de Ramessés para Sucote, cerca de seiscentos mil a pé, somente de homens, sem contar os meninos.
E subiu também com eles muita mistura de gente, e ovelhas, e bois, uma grande quantidade de gado.

E cozeram bolos ázimos da massa que levaram do Egito, porque não se tinha levedado, porquanto foram lançados do Egito; e não se puderam deter, nem prepararam comida. Êxodo 12:37-39

pão sem fermento
O Matzah, Pão Sem Fermento, na Saída do Egito.

Assim partiram de Sucote, e acamparam-se em Etã, à entrada do deserto.
Êxodo 13:20

A TRAVESSIA DO MAR VERMELHO

imagem da travessia do mar vermelho
Imagem Tradicional da Travessia do Mar Vermelho.
Golfo de Suez, Golfo de Ácaba, Mar Vermelho
Foto Aérea – Golfo de Suez, Golfo de Ácaba e, Mar Vermelho.

O MAR VERMELHO

o mar vermelho

foto de satélite do mar vermelho
Imagem de Satélite, do Mar Vermelho.

Razões porque esse não parece ser o local do livramento de Êxodo 14:

  1. Linguístico: É uma tradução errônea do Hebraico yam suph, baseado na Septuaginta Ερυθρὰ Θάλασσα = “Mar Vermelho”;
  2. Botânico: Não há suph (papyrus) que cresce aqui;
  3. Geográfico: É difícil imaginar que os Israelitas tivessem conseguido alcançar esse ponto sem terem sido derrotados pelos Egípcios.

O MAR DE JUNCOS

o mar de juncos yam suf
Em Hebraico é Yam Suf, Mar de Juncos.

יַם-סוּף – Yam Suph – palavra Hebraica suph, provavelmente proveniente do Egípcio ptwfy, que significa “junco, papiro”. O papiro cresce apenas em água doce.

Documento Egípcio papiro séc. X AEC
Documento Egípcio – Papiro Século X AEC.
ONDE ESTÁ O MAR DE JUNCOS?

Fala aos filhos de Israel que voltem, e que se acampem diante de Pi-Hairote, entre Migdol e o mar, diante de Baal-Zefom; em frente dele assentareis o campo junto ao mar. Êxodo 14:2

Havia pântanos de água doce perto de Gósen, onde cresce papiro. Hoje eles são salinos pelo fato de estarem conectados ao Canal de Suéz.

Possibilidades:

  1. Lago Timsá;
  2. Lago Balá;
  3. Grandes Lagos Amargos;

Outra possibilidade é o Lago Bardawil (Sirbonis).

os lagos do delta do nilo e canal de suez
Os Lagos Que Formam o Canal de Suez Podem Ter Sido o Mar Vermelho.
O LAGO TIMSÁ

o lago timsá

O GRANDE LAGO AMARGO

o grande lago amargo

O CANAL DE SUEZ

mapa do canal de suez

foto do canal de suez
Um Porta Aviões e Navios da Marinha Americana no Canal de Suez.
LAGO BARDAWIL OU SERBONIS

o lago bardawil ou lago serbonis

TRÊS TOPÔNIMOS EM ÊXODO 14:2

Pi-Hahirote:
  • Egípcio: Pr-Hthr, “casa de Hathor”;
  • Hebraico: pi, “boca” ; hrt,“cavar”;
  • Talvez uma área onde canais de irrigação foram cavados (construídos);
  • Localização desconhecida.
Migdol:
  • Hebraico: migdal, “torre”, uma torre de vigilância Egípcia na Via Mares;
  • Uma fortaleza Egípcia na fronteira, chamada mktr em fontes Egípcias;
  • Também mencionada em Ezequiel 29:10 como a cidade mais ao norte do Egito: “desde Migdol até Sevene, chegando até a fronteira da Etiópia”;
  • Tel el-Heir, próximo à Pelusium;
Baal-Zefom:
  • Deus Cananeu da tempestade: Baal do vento norte (Textos Ugaríticos);
  • Residência: Monte Zafom (Jebel el-Aqraa), Síria;
  • Talvez esse seja o templo mais ao sul, em contra partida do templo do norte;
  • V século AEC: O Deus adorado nesse templo é chamado de Zeus Casius;
  • Um templo para navegantes bem n acosta do Mar Mediterrâneo;
  • Monte na borda ocidental (Oeste) do Lago Bardawil, chamado Mahmudiyya.
LAGO BARDAWIL OU SERBONIS COMO MAR VERMELHO
  1. Pi-Hairote: Canal de irrigação;
  2. Migdol: Tel el-Heir;
  3. Baal-Zefom: Mahmudiyya;
  4. Acampamento Israelita.

o lago bardawil ou lago serbonis

O QUE OCORREU NO MAR DE JUNCOS?

Se lermos mais atentamente Êxodo 14, veremos que duas versões separadas foram fundidas:

A secagem do Mar

Gradualmente, durante a noite, por meio de um vento do leste que soprou a água do mar. Pela manhã os Egípcios ficaram em pânico, perseguiram os Israelitas, e ficaram atolados na lama, até que as águas retornaram para afogá-los.

carro atolado em um córrego pantanoso
Veículos de Roda Tem Facilidade de Atolar em Pântanos.

A separação (duas partes) do Mar:

Instantânea divisão / separação do mar; Israelitas caminham em terra seca; Egípcios seguem e são afogados quando as águas se fecham.

POR QUE O LAGO BARDAWIL FAZ SENTIDO

O lago Bardawil é um pântano, em sua maioria bem raso e cercado por dunas. Durante a maré baixa, ventos lestes sopram a areia sobre o pântano, cobrindo-o parcialmente, deixando a aparência de terra firme.

Os Israelitas estão num banco de areia ao norte, atrás deles está o Mar Mediterrâneo, à frente, o pântano.

Os Egípcios perseguem os Israelitas, sem perceber que os Israelitas estão em terra firme, enquanto que perante eles há um pântano. Eles (Egípcios) entram no pântano e suas carruagens atolam.

carros e carruagens do exército egípcio
Os Egípcios com Seus Carros Puxados por Cavalos.

O PÂNTANO DE SERBONIS

o pântano do lago serbonis
Provavelmente Este Lago é o Mar Vermelho.

Um golfo profundo como o pântano de Serbonis…onde exércitos afundaram.
–John Milton, Paradise Lost (Livro II, linha 592–594)

A situação que aparentemente não era difícil, se tornou quase impossível de ser resolvida.

A PENÍNSULA DO SINAI

Três zonas (Norte -> Sul):

  1. Dunas de areia;
  2. Planície de calcário;
  3. Picos de granito.

as três zonas da península do sinai

QUATRO POSSÍVEIS ROTAS PARA SAIR DO EGITO

Rota Costeira:

  • Caminho do Mar.

Rota ao Norte:

  • Caminho de Shur.

Rota Central:

  • Estrada de Hajj.

Rota ao Sul:

  • Estrada das minas de cobre e turquesa.

os quatro caminhos na península do sinai

OS DESERTOS DO ÊXODO

  • Deserto de Shur, (Êxodo 15:22);
  • Deserto de Sin, (Êxodo 16:1);
  • Deserto de Etam, (Números 33:8);
  • Deserto de Parã, (Números 10:12);
  • Deserto de Zin, (Números 27:14).

O DESERTO DE SIN

Após o livramento do Mar de Juncos, uma série de locais não identificados atualmente são mencionados: Mara, Elim, Dofca, Alus, Refidim.

 o deserto de sin

JEBEL MUSA – MONTE SINAI

jabel musa, península do sinai

“Montanha de Moisés”:

Elevação do pico: 2286 m. A Tradição identifica esse monte como o Sinai desde o IV século EC. Peregrinos Cristãos, começando com a rainha Helena, mãe do imperador Constantino.
Egéria (c. 380 EC) registra sua visita ao local.

jebel musa, a montanha de moisés, o monte sinai
O Tradicional Monte Sinai.
MOSTEIRO DE SANTA CATARINA

mosteiro de santa catarina

CODEX SINAITICUS

o codex sinaiticus

O Codex Sinaiticus, do IV século da Era Comum (EC), é um dos manuscritos mais importantes da Bíblia, encontrado na língua Grega, no Mosteiro de Santa Catarino.

JEBEL AL-LAWZ, MONTE SINAI EM MIDIÃ

jebel al-lawz
O Monte Sinai Pode Ter Sido na Arábia Saudita.

É o monte Sinai a região de Midiã?

  • Noroeste da Arábia Saudita, Hejaz;
  • Elevação: 2580 m;

Um pico escuro que parece apoiar a descrição de fogo e fumaça no topo do mt. Sinai (Êxodo 19:18). É a hipótese Midianita.

Jetro, sacerdote de Midiã e sogro de Moisés, soube de tudo o que Deus tinha feito por Moisés e pelo povo de Israel, como o Senhor havia tirado Israel do Egito… Jetro, sogro de Moisés, veio com os filhos e a mulher de Moisés encontrá-lo no deserto, onde estava acampado, perto do monte de Deus.  (Êxodo 18:1,5)

CADES BARNEIA

cades barneia

Ao fim de quarenta dias eles voltaram da missão de reconhecimento daquela terra.
26 Eles então retornaram a Moisés e a Arão e a toda a comunidade de Israel em Cades, no deserto de Parã, onde prestaram relatório a eles e a toda a comunidade de Israel, e lhes mostraram os frutos da terra. (Números 13:25-26)

  • Provavelmente seja Einel-Qudeirat;

Possível que essa Cades é diferente da mencionada em Gênesis 16, em conexão com Ismael e Hagar, que seja provavelmente Wadi Musa, localizada na Transjordânia, próxima à antiga cidade de Petra.

Bibliografia http://www.biblicalarchaeology.org/daily/ancient-cultures/ancient-near-eastern-world/the-expulsion-of-the-hyksos/

Até a Aula 05 – Conhecendo a Jordânia – De Cades até o Monte Nebo.