O Filho do Arrependimento, Zaqueu o Publicano, a História

Zaqueu era um Publicano, e para ser mais apurado, ele na verdade era chefe dos Publicanos na cidade de Jericó. A história conta que os Publicanos eram coletores de impostos. E como Israel estava sob o domínio do Império Romano, na época de Jesus, Zaqueu recolhia então impostos de seus próprios irmão de nação, os Judeus, para servir aos Romanos.

QUEM ERAM OS PUBLICANOS?

zaqueu o publicano

Clique aqui para ver os Slides de Zaqueu o Publicano!

Eles pagavam um certo montante de dinheiro à Roma, e passavam a ter o direito de cobrar impostos, mas faziam isso geralmente com práticas extorsivas, enriquecendo às custas da miséria dos Israelitas, pondo um fardo pesado sobre o povo.

Os publicanos também eram responsáveis por supervisionar as construções e as obras públicas, e muitas vezes forneciam suplementos às legiões do exército que era inimigo de Israel, o exército Romano.

soldado romano com armas e suprimentos
Os Publicanos Forneciam Suprimentos para o Exército Romano.

Por isso, eles eram considerados traidores do povo de Deus, e eram contados com os impuros e pecadores. Não eram mais considerados Judeus, ou seja, não eram mais vistos como filhos de Abraão.

ZAQUEU O PURO, IMPURO

Zaqueu era assim considerado IMPURO, se bem que o seu nome em Hebraico é זַכַּי ZACAI, que vem da raiz זָכַך ZACHAR, que significa LIMPO, PURO.

Esse nome era muito usado na época do Segundo Templo (logo após o retorno dos Judeus do Exílio Babilônico), como vemos no livro de Esdras:

Estes são os filhos da província, que subiram do cativeiro, dentre os exilados, que Nabucodonosor, rei de babilônia, tinha transportado a babilônia, e tornaram a Jerusalém e a Judá, cada um para a sua cidade;
Esdras 2:1

Os filhos de Zacai, setecentos e sessenta.
Esdras 2:9

Já abordamos, em um estudo anterior sobre Bartimeu, que significa “o filho da minha impureza”. Parece que o texto dos Evangelhos querem nos revelar que o tema da pureza e impureza estava em muita evidência na cidade de Jericó.

Dois fatos que podemos ainda citar, o primeiro com relação à Parábola do Bom Samaritano, que relata a história de um homem que se dirigia de Jerusalém para Jericó, e que um Sacerdote e um Levita evitaram contato com o homem (que julgavam estar morto), para não se tornarem IMPUROS.

E, respondendo Jesus, disse: Descia um homem de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos dos salteadores…deixando-o meio morto…certo sacerdote; e, vendo-o, passou de largo…um levita…vendo-o, passou de largo.
Lucas 10:30-32

O segundo fator que é interessante constatar, é que Jericó possuía na época, no seu entorno, uma plantação de uma especiaria muito valiosa e procurada para a “limpeza“, “purificação” da pele, e para a fabricação de pomadas cicatrizantes e de perfumes, pela sua fragrância especial: O Bálsamo de Jericó.

O BÁLSAMO DE JERICÓ

o bálsamo de jericó
Jericó Era Uma Cidade Rica com o Comércio de Bálsamo.

Mas de todos os odores o bálsamo é considerado o preferido, uma planta que a natureza apenas produz na terra da Judeia. Em tempos antigos era cultivado em apenas dois jardins, que pertenciam aos reis da região:

Um deles era não mais que vinte jugera (2.5 km2) em tamanho e o outro um pouco menor…atualmente sua reprodução se tornou um dever das autoridades fiscais e as plantas nunca foram conhecidas por serem mais numerosas ou maiores, elas nunca excedem a altura, no entanto, de poucos côvados…

uma seiva sai de sua ferida, que nos é conhecida como opobalsamum; é de extrema doçura, mas exala em pequenas gotas, que são coletadas em lã, e depositadas em pequenos chifres. Quando removida destes, essa substância é colocada em vasos de barro; parece muito com um óleo espesso de cor esbranquiçada quando fresca.

Mas breve ela se torna vermelha, e ao solidificar perde sua transparência. Quando Alexandre o Grande guerreou nessa região, para preencher uma concha com esse líquido, era considerado o equivalente a um dia de trabalho no verão; o produto [resultado] de um jardim grande é de 17 litros, e de um jardim menor 3 litros; o seu preço de venda era o dobro do seu peso em prata.

Atualmente o produto de apenas uma árvore é mais caro; as incisões são feitas três vezes cada verão, após, cada árvore é podada. Os cortes, também, criam um artigo de venda: o quinto ano após a conquistada Judeia, esses cortes, com os brotos, eram vendidos pelo preço de oitocentos mil sesterces. (Plínio, História Natural, 12.54)

A vida de Zaqueu, as suas obras eram más. Mesmo que seu nome significasse PURO, os frutos que ele produzia o tornavam IMPURO.

PORQUE JESUS PASSOU EM JERICÓ?

Jericó fica localizada na região do Deserto da Judeia:

o deserto da judeia
Os Cânions do Deserto da Judeia.

A rota mais difícil, de quem vinhada Galileia para a cidade de Jerusalém, descia pelo vale do Jordão, seguindo o rio Jordão até chegar em Jericó. Esse território era conhecido por Jesus. Anos antes, ele esteve com João Batista nessa região.

Fora aqui, no deserto de Judá, que ele subiu numa montanha para ser tentado por Satanás por 40 dias e noites. Assim, Jesus conhecia bem a região de Jericó. Talvez essa seja a razão de que, quando ele chegou na cidade, uma multidão o recebeu prontamente.

Jericó fora um eixo comercial importante visto que era uma interseção  de várias rotas (entroncamento). Era uma cidade abastarda por seu mercado de bálsamo. Essas eram razões para Zaqueu, um coletor de impostos, viver aqui.

rodovia de jericó para jerusalém
A Rodovia que Vai de Jericó para Jerusalém.

A riqueza da cidade também atraía mendigos como Bartimeu. Faz sentido pensar que Jesus estava seguindo os passos de Josué, que levara seu nome, ao realizar um milagre em Jericó antes de subir à Jerusalém.

A HISTÓRIA DE ZAQUEU EM JERICÓ

E, tendo Jesus entrado em Jericó, ia passando.

E eis que havia ali um homem chamado Zaqueu; e era este um chefe dos publicanos, e era rico.
E procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura.
E, correndo adiante, subiu a uma figueira brava para o ver; porque havia de passar por ali.
E quando Jesus chegou àquele lugar, olhando para cima, viu-o e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa.
E, apressando-se, desceu, e recebeu-o alegremente.
E, vendo todos isto, murmuravam, dizendo que entrara para ser hóspede de um homem pecador.
E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado.

E disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão.
Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.
Lucas 19:1-10

ANÁLISE DO TEXTO EM HEBRAICO

Ao iniciar o estudo sobre Zaqueu, logo algumas palavras me chamaram a atenção. O texto de Lucas 19 descreve que Zaqueu queria – רָצָה “ratsah” -, ver quem era Jesus, mas não podia por causa da multidão, e porque ele era – נָמוּךְ בְּקוֹמָתוֹ “namuch beqomatô” – de pequena estatura.

Zaqueu era odiado por seus compatriotas, e poderia ser espancado, ou apedrejado. Por isso ele temia a multidão. Ele não possuía um porte físico de um guerreiro, e ficaria em uma situação de fragilidade.

Por isso Zaqueu escolheu subir em um – עֵץ שִׁקְמָה – etz Shiqmah – Sicômoro ou Figueira Brava.

o sicômoro onde zaqueu subiu
O Sicômoro de Zaqueu, o Ficus Sycomorus.

 

E o fruto do Sicômoro é naturalmente perfurado, o que fazia alusão à Crucificação de Jesus (a perfuração de suas mãos e pés). Zaqueu, o IMPURO e PECADOR subiu, buscou se “esconder” em um símbolo da Misericórdia, do Perdão e da Purificação pela Água e pelo Sangue do Cordeiro de Deus.

Esse Sangue é mais valioso, e lava e purifica mais do que o Bálsamo de Jericó, de Gileade ou de qualquer outro.

o fruto do sicômoro
O Fruto do Sicômoro, Naturalmente Perfurado.

DESCE DEPRESSA

Outra palavra que vale destacar é o vocábulo HIZDAREZ – “depressa”:

“Zaqueu, desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa.”
Lucas 19:5

וְכַאֲשֶׁר בָּא יֵשׁוּעַ לַמָּקוֹם הַהוּא, רָאָהוּ וְאָמַר לוֹ: הִזְדָּרֵז וְרֵד, זַכַּי, כִּי הַיּוֹם מִן הָרָאוּי שֶׁאֶהְיֶה בְּבֵיתְךָ

HIZDAREZ – Binyan Hitpael – É a forma intensiva, e a voz Reflexiva / Recíproca do verbo:

Reflexiva – Zaqueu recebeu o chamado divino e teve que refletir consigo mesmo se atenderia, ou não. Ele escolheu certo e “correu para os braços de Deus”;

Recíproca – A voz recíproca do verbo exige uma “correspondência” entre transmissor e o receptor de uma mensagem. Veja o exemplo, “eu me correspondia com Maria por cartas”. Ou seja, eu enviava cartas para Maria, e ela também me enviava cartas pelo correio.

Outro exemplo é a ORAÇÃO. Orar em Hebraico é הִתְפַּלֵּל , HITPALLEL – também é da construção Hitpael – intensivo e recíproco, ou seja, a oração em Hebraico é entendida como um ato de correspondência entre Deus e o homem; há uma comunicação por meio das preces, orações e há o retorno da parte de Deus.

Aqui, no caso de Jesus e Zaqueu, a reciprocidade se dá ao atendimento do pedido de Jesus. Zaqueu desceu “depressa”, e a resposta era “pousarei na sua casa hoje”.

O RESTITUO QUADRUPLICADO

קָם זַכַּי וְאָמַר לְיֵשׁוּעַ: הִנֵּה, אֲדוֹנִי, אֶת מַחֲצִית נְכָסַי נוֹתֵן אֲנִי לָעֲנִיִּים; וּלְכָל אִישׁ אֲשֶׁר עָשַׁקְתִּי, פִּי אַרְבָּעָה אֲשַׁלֵּם.

E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado. Lucas 19:8

O restituir quadruplicado que Zaqueu afirma na presença de Jesus, é o cumprimento de um Mandamento da Torá, em Êxodo 22:

כִּ֤י יִגְנֹֽב־ אִישׁ֙ שׁ֣וֹר אוֹ־ שֶׂ֔ה וּטְבָח֖וֹ א֣וֹ מְכָר֑וֹ חֲמִשָּׁ֣ה בָקָ֗ר יְשַׁלֵּם֙ תַּ֣חַת הַשּׁ֔וֹר וְאַרְבַּע־ צֹ֖אן תַּ֥חַת הַשֶּֽׂה׃

Se alguém furtar boi ou ovelha, e o degolar ou vender, por um boi pagará ( yESHALEM ) cinco bois, e pela ovelha quatro ovelhas.
Êxodo 22:1

Zaqueu, através do encontro com Yeshua, dá prova de sua TESHUVÁ, o retorno. A prova de seu arrependimento é a volta ao Caminho Antigo, pois ele volta a cumprir os Mandamentos do Eterno.

E Jesus aprova o arrependimento de Zaqueu, Judeu, filho de Abraão:

אָמַר לוֹ יֵשׁוּעַ: הַיּוֹם הָיוּ חַיִּים לַבַּיִת הַזֶּה, כִּי גַּם זֶה בֶּן אַבְרָהָם הוּא

E disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão. Lucas 19:9

O texto diz que Zaqueu voltou a cumprir os Mandamentos em בְּשִׂמְחָה Simchá, em Alegria, “E, apressando-se, desceu, e recebeu-o alegremente.” Lucas 19:6

Quem tem um verdadeiro encontro com Jesus, cumpre os Seus mandamentos com alegria, em gozo e paz, já não mais em legalismos, mas em amor:

Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama;
João 14:21

Faze-me andar na vereda dos teus mandamentos, porque nela tenho prazer.
Salmos 119:35

Aflição e angústia se apoderam de mim; contudo os teus mandamentos são o meu prazer. Salmos 119:143

A palavra  que Zaqueu usa para “RESTITUO” é אֲשַׁלֵּם ASAHLEM, que também está no texto de Êxodo 22:1. Ashalem, está no “tempo” verbal yqtol, da construção Piel, intensivo. Ashalem significa estar em uma aliança de paz, estar completo.

os binynim por forma ativa, passiva, reflexiva e recíproca
Os Binyanim Tem Voz Ativa, Passiva, Recíproca e Reflexiva.

Shalem, paz ou/e completo.

É uma referência à passagem da luta de Yaakov e o homem / Anjo. Jacó disse que tinha lutado com o próprio Deus. E depois desse encontro magnífico, Jacó foi marcado / transformado.

A palavra usada para “SALVO” em Bereshit, Gênesis 33:18, é a mesma raiz de ASHALEM, podendo trazer várias traduções para aquele texto:

וַיָּבֹא יַעֲקֹב שָׁלֵם עִיר שְׁכֶם, אֲשֶׁר בְּאֶרֶץ כְּנַעַן, בְּבֹאוֹ, מִפַּדַּן אֲרָם; וַיִּחַן, אֶת-פְּנֵי הָעִיר.

E chegou Jacó salvo à Salém, cidade de Siquém [em outra tradução: E Jacó chegou COMPLETO…] [e em mais outra, poderia ser: E Jacó chegou em PAZ...]
Gênesis 33:18

Jacó chegou completo e em paz porque teve um encontro com o ANJO do SENHOR, que era uma MANIFESTAÇÃO do Eterno.

Zaqueu pagou / restituiu, em uma aliança de PAZ, e também se sentiu COMPLETO porque tinha encontrado com o YESHUA haMASHIACH, Jesus Cristo, que é a manifestação do Eterno entre os seres humanos, ou seja, Jesus é o próprio Eterno se manifestando como forma de homem:

Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,
Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;
E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.
Filipenses 2:6-8

Quem encontra Jesus verdadeiramente em seu coração, passa por transformação profunda no seu caráter.

É impossível alguém ter um encontro com Jesus e permanecer o mesmo, porque Ele tem o poder de transformar o mais impuro pecador em uma árvore frutífera, que dão frutos para a vida eterna.

Esse foi o mérito de Zaqueu, o mérito de ter sido encontrado por Deus. Ele olhou pra Deus, e Deus o encontrou.

שֶׁהֲרֵי בָּא בֶּן הָאָדָם לְחַפֵּשׂ וּלְהוֹשִׁיעַ אֶת מַה שֶּׁהָיָה אָבוּד

Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.
Lucas 19:10